Seção: Comentários Teleco

23/07/2006


Um ano perdido da Vivo?

 

 

A divulgação dos resultados da Vivo para o 2º trimestre de 2006 (2T06) veio acompanhada de duas novidades.

  • A primeira, já esperada, foi a confirmação de que a Vivo irá construir uma rede GSM a entrar em operação até o final de 2006.
  • A segunda, até certo ponto surpreendente, foi a de que a Vivo resolveu fazer uma limpeza em sua base de clientes, dando baixa em 1.823 mil clientes inativos.

Com esta redução a Vivo, que teve como carro chefe da sua campanha do Natal de 2005 o fato de ter atingido a marca de 30 milhões de clientes, passou a ter 28.525 mil celulares em Jun/06, número muito próximo aos 28.446 mil celulares que possuía em Jun/05.

 

O número de celulares da Vivo estacionou neste período de um ano (Jun/05 a Jun/06), abstraindo-se do fato que o número do 2T05 poderia também estar inflado. Isto levou a Vivo à perder 6 pontos percentuais de market share, pois o Brasil cresceu 16,2 milhões de celulares no período. Foi de 75,5 para 91,8 milhões.

 

-
2T05
2T06
Celulares (milhares)
28.446
28.525
Market Share
37,7%
31,1%
Pré-pago (%)
80,6%
81,5%
ARPU (R$)
28,6
24,1
MOU
79
66

 

Além de não crescer em número de celulares a Vivo está perdendo seus melhores clientes como indicam os números de ARPU, MOU e pré-pago(%).

 

Não foi só no desempenho operacional que a Vivo estacionou neste período de um ano. A Receita e Margem EBITDA caíram e o prejuízo aumentou.

 

R$ Milhões
2T05
2T06
Receita Bruta
4.025
3.765
Receita Líquida
2.879
2.598
EBITDA
599
306
Margem EBITDA
20,8%
11,8%
Lucro (prejuízo) Líquido
253
493

 

Estes números ajudam a entender melhor as razões que levaram a Vivo a optar, finalmente, por uma mudança de rumo concretizada na implantação da rede GSM e na baixa em 1,8 milhões de celulares.

 

A redução do número de celulares promovida pela Vivo afetou o total de celulares no Brasil que, por este motivo, apresentou queda no mês.

 

A tabela a seguir apresenta uma comparação entre o total divulgado pela Anatel para o mês de Jun/06 (Dados preliminares) e um total hipotético caso a Vivo não tivesse dado baixa nos 1.823 mil celulares.

 

Jun/06 (Milhares)
Anatel
Hipotético sem baixa da Vivo
Celulares
91.760
93.583
Adições líquidas
- 617
1.206
Densidade
49,24
50,21

 

A baixa no número de celulares promovida pela Vivo não é uma novidade em termos internacionais. Ela já foi promovida por várias operadoras, inclusive a Telefonica na América Latina. Ela traz de volta a discussão sobre o critério de contagem do número de celulares pelas operadoras (Consulte o comentário: A possível diferença na contagem do número de Celulares no Brasil)

 

O órgão regulador da França (ART), por exemplo, apresenta o número total de celulares e o número de celulares ativos (98 a 98,5% do total). São considerados ativos os celulares que receberam ou originaram uma chamada nos últimos 3 meses.

 

O calvário da Vivo deve continuar nos próximos meses até o início de operação de sua rede GSM que está previsto para o final do ano. Durante este período a Vivo continuará vulnerável e terá de lutar para não continuar perdendo clientes. É importante destacar que, mesmo descontando a baixa de 1.823 mil celulares, a Vivo apresentou uma redução adicional de 127 mil celulares em Jun/06.

 

O ano de 2006 será um ano perdido para a Vivo em termos de crescimento do número de clientes e receita. Ela deve continuar a perder market share e a margem EBITDA deve continuar se deteriorando devido aos investimentos a serem feitos com a nova rede. As medidas tomadas pela Vivo, no entanto, indicam que a operadora está consciente desta situação e resolveu enfrentar os seus problemas. 2006 poderá ser também o ano onde estão sendo colocadas as bases para a Vivo retomar a sua trajetória de crescimento nos próximos anos.

 

 

Consulte o comentário do Teleco: O que muda com a ida da Vivo para o GSM

 

 

Diante deste quadro pergunta-se:

  • Como a crise da Vivo afeta as outras operadoras e o crescimento do celular em 2006?
  • As outras operadoras também tem limpeza a fazer na sua base de clientes? E a Vivo?
  • ANATEL deveria definir critérios de contagem de celulares ativos a serem seguidos por todas as operadoras?
  • Qual o número de celulares ativos do Brasil considerando o critério do órgão regulador da França?
  • A implantação do overlay de GSM trará crescimento em market share para a VIVO? E em receita?

Comente.

 

Para enviar um comentário clique em: teleco@teleco.com.br

 

Indique no email se autoriza a sua publicação.

 

 

Comentário de Francisco José de Oliveira

 

O que a Vivo fez foi uma jogada de mestre, colocou todas as operadoras em cheque-mate, o crescimento sem rentabilidade estava sufocando a Vivo ela tirou este peso das costas, pois ela já estava em uma queda acentuada no que se refere a acompanhar as outras operadoras em crescimento e jogou a responsabilidade de crescimento para os seus concorrentes com isso ela inda esse ano poderá recuperar, mas com rentabilidade estes números que não fazia mais presença em seu faturamento.

 

Caso venhamos ter realmente uma limpa da carteira de todas as operadoras e bem provável que este ano não chegaremos a 100 milhões de acesso móvel no Brasil.

 

O que e estranho que as operadoras de telefonia móvel vivem brigando na justiça com a Anatel pelo direito de desligarem os celulares Pré Pagos após três meses sem recarga e o que vimos e que eles não cumprem essa determinação que eles mesmo se impuseram para o mercado, o que estamos vendo e uma corrida para venda de números e não rentabilidade o que e errado.

 

O que a Anatel já deveria ter feito no mercado e o cadastramento de todos os números de celulares cruzando com os CPF e CNPJ dos clientes e divulgar publicamente para o mercado estes números, este tipo de sigilo e coisa do passado, com essa postura da Anatel ai sim teremos números confiáveis.

 

O que a Vivo tem que fazer rápido e mudar para o GSM e se movimentar para os mercado Mineiros e do Nordeste para recuperar sua posição de crescimento junto a concorrência.

 

Ela tem que se movimentar para a compra da Telemig Celular e sua irmã Amazonas Celular, pois ela montar uma rede GSM na altura do campeonato nestas regiões será muito difícil e demorado, e a gestão da Telemig Celular para a Vivo será essencial, pois e uma empresa que possui excelentes ou os melhores profissionais do mercado Brasileiro e já passou pela migração para GSM.

 

A Claro já se posicionou como compradora da Telemig Celular, mas e muito difícil ela conseguir fazer essa aquisição, pois ela teve vários problemas na justiça com a Telemig Celular e o clima entre as operadoras não e bom, e a Claro já se estruturou no mercado Mineiro e esta no mesmo caminho no nordeste, esta aquisição para o mercado também não e boa, não trará concorrência entre as principais  operadoras.

 

Workshop

 

 

 

 

Loading
CONSULTORIA TELECO

Inteligência em Telecom

Estudos e Base de Dados

Relatórios

Celular Brasil 2016

Telecom e Capex

Venda de Planilhas

Dados históricos do Mercado Brasileiro

Workshops

Internet das Coisas
27 de Junho

Market Update

Regulamentação

Mais Produtos

 
 

EVENTOS

Workshop de Internet das Coisas

Organizador: Teleco
27 de junho

Mais Eventos

LIVROS

 




 

 


Siga o Teleco

linkedin

 

...