Seção: Comentários Teleco

22/10/2006


Banda Larga no Brasil está cinco anos atrás dos países desenvolvidos

 

O Brasil terminou Jun/06 com 4,6 milhões de acessos Banda Larga. Apesar do forte crescimento de 60% nos últimos 12 meses, a densidade de Banda larga no Brasil é ainda de 2,5 acessos/100 hab, índice muito menor que o apresentada pelos países mais desenvolvidos.

 

Nota: densidade (Acessos/100 hab) referente a Jun/06 e PIB per Capita (Paridade de Poder de Compra) referente a 2005. Fontes, OCDE, Teleco e FMI.

 

A figura acima apresenta a densidade de Banda Larga (Acesso/100 hab) em junho de 2006 dos países da OCDE e de alguns países da América Latina (Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México e Venezuela). A Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) é uma instituição que congrega todos os países desenvolvidos europeus, os EUA, o Japão e alguns outros países emergentes como o México.

 

Os países da América Latina possuem um PIB per capita menor e consequentemente uma menor densidade de acessos Banda Larga.

 

Acessos (milhares)
Acessos/100 hab
PIB per Capita (PPP) US$
Argentina
1.045
2,7
14.109
Brasil
4.630
2,5
8.561
Chile
785
4,8
11.937
Colômbia
319
0,7
7.326
México
2.951
2,8
10.186
Venezuela
439
1,6
6.186

 

Brasil e México apresentam uma densidade de acessos Banda Larga próxima a apresentada pela média dos países da OCDE há 5 anos atrás.

 

 

Tecnologias de Banda Larga

 

O ADSL é a tecnologia dominante no conjunto dos 30 países que participam da OCDE com 62,6% dos acessos. Entre estes países, Estados Unidos (US) e Canadá são os únicos em que o Cabo (cable modem) supera o ADSL. No Japão 25,8% dos acessos Banda larga são de outras tecnologias. O Japão é o país que vem investindo mais pesadamente em acesso de fibra óptica até a residência.

 

 

No Brasil, como na maioria dos países da América Latina, o ADSL é a tecnologia dominante com 77,6% dos acessos, seguido pelo Cabo com 20,5%.

 

Banda Larga x Discado

 

Uma tendência observada também nos provedores de Internet na América Latina é a migração de contas de acesso discado para Banda Larga como exemplificado na figura a seguir.

 

 

 

Diante deste quadro pergunta-se:

  • Como a baixa densidade de acessos Banda Larga no Brasil afeta a difusão de novas tecnologias como o VOIP?
  • No futuro, os acessos Banda Larga wireless como o Wimax terão uma participação significativa no total de acessos Banda Larga no Brasil? E no mundo?
  • Qual será o papel nos acessos Banda Larga de tecnologias como a fibra óptica e PLC?

Comente!

Para enviar sua opinião para publicação como comentário a esta matéria para nosso site, clique aqui!

 

Nota: As informações expressadas nos artigos publicados nesta seção são de responsabilidade exclusiva do autor.

 

 

Comentário de Octavio de Abreu Sampaio

Embora o Brasil esteja cinco ou mais anos atras dos membros fundadores da OECD,  a comparacao em penetracao de banda larga deve levar em conta que o Brasil esta na verdade A FRENTE OU IGUAL comparado aos membros mais recentes daquela organizacao, com renda per capita comparavel a brasileira, como Polonia, Turquia e  Mexico - e mesmo Grecia com renda bem maior. Porem isto não quer dizer que o Brasil não possa e deva melhorar sua penetracao.

 

As razões para a baixa penetracao da banda larga são em geral as mesmas em paises diversos: falta de competicao mantem os preços elevados e assim restringe a demanda. Tambem deve ser observado que a União Européia instituiu programas especiais de estimulo ao desenvolvimento da banda larga no inicio da decada para diversos de seus membros que tinham penetracao perto de ZERO em 2001 - como Irlanda, Grecia, Hungria, Rep. Checa e Polonia - tres dos quais tiveram pulo para penetracao acima de 6% atualmente (5-10 vezes maior em 2-3 anos). Poderia o mesmo ocorrer no Brasil sob condicoes apropriadas?

No Brasil, provedores usando a tecnologia cabo coaxial devem continuar a expandir substancialmente seus assinantes de banda larga entre as classes A e B, ja servidas pela rede, nos proximos anos - especialmente no estado de São Paulo. A tecnologia Wimax tambem deve encontrar um nicho no mercado em areas não servidas por outras tecnologias - podendo se expandir mais quando a versão móvel tiver preço acessivel. A tecnologia DSL deve continuar a se expandir com ofertas das teles regionais, que procuram novas fontes de receita na banda larga e em serviços convergentes - e poderá se expandir mais rapidamente na medida em que for pressionada por competicao do serviço por cabo, e ainda caso a desagregacao da rede local seja implementada, por permitir a entrada de concorrentes. A expansão da VoIP tem como limite superior o numero de assinantes de banda larga, tendendo a se expandir em paralelo com a ultima.

 

 

Workshop

 

 

Loading
CONSULTORIA TELECO

Inteligência em Telecom

Estudos e Base de Dados

Relatórios

Celular Brasil 2016

Telecom e Capex

Venda de Planilhas

Dados históricos do Mercado Brasileiro

Workshops

Internet das Coisas
27 de Junho

Market Update

Regulamentação

Mais Produtos

 
 

EVENTOS

Workshop de Internet das Coisas

Organizador: Teleco
27 de junho

Mais Eventos

LIVROS

 




 

 


Siga o Teleco

linkedin

 

...