Seção: Comentários Teleco

04/02/2007


O Desempenho dos Fornecedores de Telecom em 2006

 

A Receita Líquida dos 10 maiores Fornecedores de Telecomunicações do mundo atingiu cerca de US$ 230 Bilhões em 2006 com crescimento de 19% em relação ao ano de 2005.

 

Nota: Receita em telecomunicações no ano fiscal adotado pela empresa: Cisco (Julho), Lucent e Siemens (Setembro), Nec (Março) e dezembro para os demais. Receitas da Alcatel-Lucent, Nortel e Nec em 2006 são estimativas do Teleco, bem como as conversões para US$ de valores reportados em outras moedas. Os resultados da Alcatel em 2006 incluem a Lucent (Alcatel-Lucent). A partir de 2005 a receita da Siemens deixa de incluir a área de telefones celulares vendida para a BenQ.

 

Nokia e Motorola mantiveram a liderança mundial em Receita Líquida no segmento com um crescimento em 2006 de 33% e 22% respectivamente. Consulte: Vendors de Telecom

 

Mercado de Telefones Celulares

 

A liderança destas empresas deve-se em grande parte às transformações ocorridas no mercado de equipamentos de telecomunicações nos últimos anos. Com o crescimento da telefonia celular e das redes de dados, a maior parte dos investimentos em equipamentos de telecomunicações passou a ser feita em equipamentos dos clientes e não na rede das operadoras. Na Nokia e na Motorola, lideres mundiais em vendas de telefones celulares, o segmento de redes representou apenas cerca de 18% da receita de 2006.

 

Nokia, Motorola, Samsung, Sony Ericsson e LG são os principais fornecedores de telefones celulares do mundo com 80% dos mais de 1 bilhão de telefones celulares vendidos em 2006 (mais detalhes). No mercado de telefones celulares a escala é fundamental, o que provoca uma concentração em poucos fornecedores. Nota-se entre estes fornecedores nomes como Samsung, Sony e LG que são fortes no mercado de eletrônica de consumo.

 

Com a difusão dos celulares em países em desenvolvimento como China e Índia, ganha peso a produção de telefones de baixo custo a preços cada vez mais baixos (low end). Nokia e Motorola acumulam cada vez mais vantagens neste campo. A Nokia é forte em todo o mundo, exceto nos Estados Unidos, onde domina a Motorola.

 

Na outra ponta, com o 3G e serviços de dados como email e acesso à Internet, cresce o uso de celulares mais sofisticados (smartphones). A disputa neste campo é acirrada, contanto também com a participação de outros players como a RIM (Blackberry), a Palm e agora a Apple. A Sony Ericsson, que ultrapassou a LG em market share em 2006, tem se destacado neste segmento.

 

Mercado de infraestrutura de redes

 

O dinamismo do setor de telecomunicações, que exige grandes investimentos em pesquisa e desenvolvimento, e a competição promovida por fornecedores chineses como a Huawei e a ZTE, levaram a fusões entre os principais fornecedores de redes de telecomunicações. A fusão da Alcatel com a Lucent foi concluída em dezembro de 2006. A Nokia e a Siemens estão reunindo este ano os seus segmentos de redes de telecomunicações em uma nova empresa Nokia Siemens Networks. A liderança do mercado de equipamentos de telecomunicações passará então a ser disputada por 4 empresas, todas com receita superior a US$ 30 bilhões em 2006: Cisco, Ericsson, Nokia Siemens Networks e Alcatel-Lucent.

 

Banda Larga e celular são as áreas de maior receita dos fornecedores. A receita da Cisco é proveniente na sua maior parte de redes IP, sendo a líder mundial em roteadores e switches. Já na Ericsson a infraestrutura para redes móveis representou 70% de sua receita em 2006.

 

Os fornecedores de infraestrutura de redes estão procurando aumentar seu escopo de atuação junto às operadoras fornecendo, além dos equipamentos e sistemas, serviços de operação e manutenção. Os serviços representaram 20% da receita da Ericsson em 2005.

 

No Brasil, a Abinee estima em R$ 19 Bilhões (US$ 8,9 Bilhões) o faturamento da industria de telecomunicações em 2006, o que representa um crescimento de 8% em relação a 2005 (Mais detalhes). Este valor é 3,9% da Receita Mundial dos 9 fornecedores analisados neste comentário. O Brasil é um centro de produção de telefones celulares (mais detalhes) sendo Motorola e Nokia os principais exportadores (mais detalhes).

 

 

Diante deste quadro pergunta-se:

  • Qual será o faturamento dos fornecedores de telecom no Brasil em 2007?
  • Qual o papel reservado para o Brasil na cadeia de produção destes fornecedores globais? O Brasil continuará sendo um polo de produção de telefones celulares?
  • Que novas tecnologias podem afetar este cenário? TV Digital, 3G, Wimax?
  • Qual o impacto da taxa de câmbio na indústria de Telecomunicações brasileira? Continuaremos importando equipamentos de rede?
  • Como incentivar o desenvolvimento tecnológico em Telecom?

Comente!

Para enviar sua opinião para publicação como comentário a esta matéria para nosso site, clique aqui!

 

Nota: As informações expressadas nos artigos publicados nesta seção são de responsabilidade exclusiva do autor.

 

 

Comentário de Denis Carnietto

Os números publicados neste artigo abrangem os fornecedores para o mercado de redes corporativas (entreprise)? Ou somente para operadoras?

 

Resposta do Teleco: De um modo geral os números incluem a participação destes fornecedores no mercado de redes corporativas.

 

 

Workshop

 

 

Loading
CONSULTORIA TELECO

Inteligência em Telecom

Estudos e Base de Dados

Relatórios

Celular Brasil 2016

Telecom e Capex

Venda de Planilhas

Dados históricos do Mercado Brasileiro

Workshops

Regulamentação
9 de Maio

Internet das Coisas
30 de Maio

Market Update

Mais Produtos

 
 

EVENTOS

Workshop Regulamentação

Organizador: Teleco
9 de maio

Workshop de Internet das Coisas

Organizador: Teleco
30 de maio

Mais Eventos

LIVROS

 




 

 


Siga o Teleco

linkedin

 

...