Seção: Comentários Teleco

 11/04/2010


Qual a estratégia da Vivendi para o Brasil?

 

Ao apresentar os seus resultados de 2009 a Vivendi reafirmou a estratégia do grupo:

  • Margens altas para todos os negócios.
  • Foco em investimentos e inovação para satisfazer a demanda do consumidor por banda larga, mobilidade e conteúdo digital.
  • Melhorar o desempenho do grupo através das aquisições realizadas.
  • Aumentar no longo prazo o valor para o acionista.
    • Adquirir as participações minoritárias na SFR (Vodafone)
    • Alocar capital em regiões/negócios de crescimento rápido em mídia e telecom

A GVT se encaixa perfeitamente na estratégia de alocação de capital da Vivendi:

  • Adquiriu a GVT, um negócio de rápido crescimento em um dos maiores mercados do mundo, por um múltiplo de 9x do EBITDA estimado para 2010. Gasto estimado de 3,1 bilhões de euros para adquirir 100% das ações.
  • Vendeu em 2010 a sua participação de 20% na NBC Universal, um ativo maduro, por cerca de 4 bilhões de euros (múltiplo de 10-11x o EBITDA).

A GVT é uma empresa com considerável potencial de crescimento. A Vivendi projeta para 2010 crescimento de 26% na receita líquida e de 30% no EBITDA ajustado. Espera ainda um crescimento de 25% no EBITDA em 2011.

 

 

Nota: O EBITA ajustado de 2009 não considera custos extraordinários de R$ 72,2 milhões devido da troca de controle no 4T09.

 

O crescimento continuado da GVT deve ser alavancado pela expansão geográfica, oferta de banda larga em alta velocidade e entrada no mercado de TV por Assinatura.

 

A GVT está presente em 84 cidades, sendo 75 na região II e 9 nas outras regiões. Fortaleza, Campina Grande e João Pessoa são as próximas cidades a serem atendidas, mas São Paulo é o grande mercado a ser atacado pela GVT (veja artigo).

 

 

Banda larga foi o serviço que apresentou maior crescimento de receita líquida em 2009 (56,7%). A GVT lançou em agosto de 2009 uma nova família de serviços de banda larga com velocidades de 3 a 100 Mbps a preços de R$ 49,90 poe 3Mbps e R$ 69,90 por 10 Mbps. No final de 2009, 39% da base de clientes da GVT já utilizava velocidades maiores ou iguais a 10 Mbps.

 

 

 

No 4T09, 71% das vendas de banda larga da GVT foram de velocidades maiores que 10 Mbps. A GVT conseguiu este resultado por ter uma rede de nova geração, que conta com 6 mil Km de rede local em fibra óptica (crescimento de 25,9% em 2009).

 

A oferta de IPTV utilizando sua rede de acesso banda larga de alta velocidade é o próximo passo da GVT, para tanto contará com a experiência da Vivendi, conforme ela afirma em seu relatório anual. As restrições existentes na lei da TV a cabo ainda impedem este movimento da GVT, mas devem ser retiradas com a aprovação do PL 29.

 

Se o caminho da GVT está claro, ainda é incerta a estratégia da Vivendi para a área de celular no Brasil. O presidente do grupo declarou ao Financial Times (Mar/10) que a empresa vai "observar de perto o que está acontecendo no cenário de telefonia celular para o caso de encontrar oportunidades".

 

Não existem muitas oportunidades para aquisições nesta área no Brasil. A grande oportunidade poderia ser a Tim, mas a Vivendi não está bem posicionada para esta aquisição devido à presença da Telefonica na Telecom Italia. A Vivendi não tem demonstrado também interesse em participar do leilão da Banda H que deve ser realizado este ano.

 

 

Diante deste quadro pergunta-se:

  • A GVT vai atingir suas metas de crescimento de receita e EBITDA? Como?
  • Quando a GVT vai entrar no mercado paulista?
  • A Vivendi vai disputar uma licença de 3G no leilão da Banda H?
  • Quando será aprovado o PL 29?

 

 

Comente!

Para enviar sua opinião para publicação como comentário a esta matéria para nosso site, clique aqui!

 

Nota: As informações expressadas nos artigos publicados nesta seção são de responsabilidade exclusiva do autor.

 

 

Comentário de Eder Tuler

Não há duvidas quanto ao potencial da Vivendi para o mercado Brasileiro. Ela vai esquentar as coisas para a Oi e a Telefonica. Na região 2, a Oi precisará agir rapidamente para conseguir impedir o avanço da Vivendi/GVT e entrando em São Paulo, a Telefonica precisará fazer o mesmo para não perder espaço.

 

Fica ainda a possibilidade dela participar sim do leilão da banda H, mesmo que não seja da H, há outras bandas que tamém serão leiloadas. Potencial ela tem, e quem vai sair ganhando é somos nós, usuários.

 

 

Comentário de Jonnathan Ferreira

Empresa com grande potencial, tem tudo pra dar certo!

 

 

CONSULTORIA TELECO

Relatórios

Imagem cortesia FreeDigitalPhotos.net

Telecom, Celular e Capex

Workshops

Market Update

America Latina

Regulamentação de Telecom

Consultoria

Estudos e Base de Dados

Mais Produtos

EVENTOS

VII Seminário TelComp 2014

11 de novembro

Mais Eventos




 

 


Siga o Teleco

 

...

 

 

Imprima esta página

Adicione aos Favoritos Comunique erros