Seção: Comentários Teleco

04/09/2010


Fabricantes e Operadoras: Os Smartphones podem abalar esse relacionamento?

 

As vendas de Smartphones no mundo no 1º semestre de 2010 cresceram 55% em relação a igual período de 2009. No 2º trimestre de 2010 (2T10), 19,8% dos telefones celulares vendidos no mundo eram Smartphones.

 

 

 

 

 

Os Smartphones se tornaram o objeto de desejo por concentrar em único aparelho (portátil e móvel) as funções do telefone celular (Voz) e de dados geralmente executadas em um computador (PC).

 

A tendência é de que o Smartphone venha a substituir o PC com o principal dispositivo de acesso à Internet. Em 2011, as vendas de Smartphones devem superar as de PCs no mundo.

 

 

Fonte: Teleco e Gartner.

 

 

Os avanços de usabilidade e capacidade de processamento dos Smartphones combinados com o crescimento das redes 3G possibilitam uma experiência cada vez melhor para o usuário na utilização de serviços de valor adicionado (VAS) como:

  • Serviços de mensagem como email e de mensagem instantânea (tipo MSN), além do SMS/MMS;
  • Serviços de Entretenimento como acesso à música, jogos e TV;
  • Navegação na Internet, acesso a redes sociais e serviços de Bancários;
  • Uso como modem;
  • Serviços de localização.

Estes serviços e muitos outros podem ser acessados através de aplicativos que tornam o Smartphone o elemento central de gerenciamento da vida do usuário, concentrando informações, ferramentas de organização de sua vida pessoal e profissional e e acesso a serviços de entretenimento e corporativos.

 

O papel central ocupado pelos Smartphones pode abalar, no entanto, o relacionamento entre operadoras e fabricantes de telefones celulares.

 

Os fabricantes de Smartphones parecem ter entendido que "na realidade, os clientes não compram produtos, eles os contratam para realizar certas tarefas (Theodore Levitt)" e estão cada vez mais se envolvendo na oferta de serviços de valor adicionado.

 

A Apple com sua loja de aplicativos associada ao iPhone e a RIM com o seu serviços de mensagens (Blackberry) foram as pioneiras nesta abordagem. A Nokia veio em seguida com o portal Ovi e serviços de mapas, música e mensagens.

 

 

 

Fonte:Teleco e Gartner

 

Neste cenário, ganha importância a disputa entre os diferentes sistemas operacionais utilizados pelos Smartphones, o que obriga os desenvolvedores a produzir várias versões de um mesmo aplicativo.

 

Não é por acaso que os três maiores players neste mercado e que perseguem uma oferta de serviços (Nokia-Symbian, Rim e Apple) utilizam seus próprios Sistemas Operacionais. Já HTC, Samsung, Motorola optaram pelo Android patrocinado pelo Google como forma de garantir a sua presença na Internet móvel.

 

O crescimento do uso de Smartphones e serviços de VAS é essencial para o crescimento da receita de dados das operadoras, mas existe uma disputa pelo tamanho da fatia de cada um neste bolo.

 

Algumas operadoras de celular têm demonstrado preocupação com este relacionamento mais estreito entre fabricantes de Smartphones e seus clientes, principalmente no que se refere ao poder da Apple com sua loja de aplicativos e com o crescimento do Android nesta mesma direção. Em fevereiro de 2010 um conjunto de operadoras lançou um projeto para desenvolvimento de uma interface comum (API) para desenvolvedores de aplicativos a ser utilizada por estas operadoras como forma de promover suas lojas de aplicativos.

 

Este cenário se torna ainda mais complexo quando se considera o conceito mais amplo de "smart devices" que inclui tablets, leitores de livros como o Kindle da Amazon e outros dispositivos. O sucesso do iPad da Apple está levando ao lançamento de tablets pelos vários fabricantes de Smartphones. A Nokia, em parceria com a Intel, adotou o Meego (baseado no Linux) para este tipo de dispositivos. O que se pode observar é que os tablets anteriores fracassaram por que tentaram trazer o PC para este dispositivo. O que se está fazendo agora é oferecer um Smartphone com uma tela maior.

 

Estas mesmas tendências, embora com algum atraso em relação à Europa e Estados Unidos, podem ser percebidas no Brasil. Para detalhes sobre VAS móvel no Brasil consulte o MAVAM.

 

Diante deste quadro pergunta-se:

  • O Smartphone irá substituir o PC como principal dispositivo de acesso à Internet? Qual o papel dos tablets?
  • Como irá evoluir o relacionamento entre as operadoras e fornecedores de Smartphones?
  • Como a exigência de desbloqueio destes dispositivos existente no Brasil pode afetar este cenário?

 

 

Comente!

Para enviar sua opinião para publicação como comentário a esta matéria para nosso site, clique aqui!

 

Nota: As informações expressadas nos artigos publicados nesta seção são de responsabilidade exclusiva do autor.

 

 

Comentário de Roni Melo

Eu acredito que não irá substituir o pc como dispositivo principal de acesso à internet, devido à comodidade e ergonomia que um pc oferece.

 

Com a massificação do uso de Netbooks, acredito que este sim irá ter uma penetração maior e se tornara mais parecido com um smartphone, é pequeno, fácil de transportar e pode agragar recursos de telefonia móvel.

 

Já os smartphones o que pesa é a complexidade dos aplicativos que muitas vezes não são diretos, e demanda tempo para se realizar tarefas simples de enviar um email, e ai neste mundo corrido acho que isto conta pontos negativos para o smartphones. A maioria das pessoas não tem paciência para usufruir dos recurso de um smartphone.

 

 

 

Loading
CONSULTORIA TELECO

Inteligência em Telecom

Estudos e Base de Dados

Relatórios

Celular Brasil 2016

Telecom e Capex

Venda de Planilhas

Dados históricos do Mercado Brasileiro

Workshops

Market Update

04 de Abril

Regulamentação de Telecom

Mais Produtos

 
 

EVENTOS

Workshop Teleco Market Update 2016

Organizador: Teleco
4 de abril

IoT BRASIL SUMMIT 2017

Organizador: Telesemana/Teleco
5 de abril

Mais Eventos

LIVROS

 




 

 


Siga o Teleco

linkedin

 

...