Seção: Comentários Teleco

05/01/2013


O que acompanhar em 2013

 

Depois de um ano considerado regular para o setor de Telecom no Brasil (mais detalhes), o clima é de otimismo em relação a 2013. Segundo enquete realizada pelo Teleco, 60% esperam que 2013 seja melhor ou muito melhor que 2012. O otimismo é, no entanto, menor que o registrado em enquete realizada há um ano, quando este percentual era de 73%.

 

Apresenta-se a seguir as principais tendências a serem acompanhadas no ano de 2013.

 

 

 

  1. Crescimento do Celular.
    Com uma densidade de mais de 130 cel/100 hab. o Brasil deve continuar apresentando em 2013 uma redução da taxa de crescimento do celular, principalmente no pré-pago, como ocorreu no segundo semestre de 2012. A competição deve, no entanto, permanecer acirrada com as quatro principais operadoras (Vivo, TIM, Claro e Oi) disputando fortemente este mercado com uma nova entrante (Nextel 3G).
  2. Crescimento da receita de dados das operadoras.
    Em 2013, as operadoras móveis não poderão contar com o crescimento da base de celulares como principal alavanca para o crescimento de sua receita. As receitas de voz devem apresentar queda na taxa de crescimento, pressionadas pelos baixos preços de chamadas “on net” e a queda na receita de interconexão determinada pela Anatel. Diante deste quadro, as operadoras devem aumentar o foco em serviços de dados estimulando a venda de Smartphones e expandindo suas redes 3G e 4G.
  3. A evolução da Banda Larga móvel (4G e 3G).
    Existe muita expectativa em relação ao inicio das operações de 4G no Brasil e este deve ser um dos temas quentes de 2013. Ela deve acontecer, no entanto, de forma gradual e com baixa adoção devido ao alto preço dos smartphones 4G. 3G continuará sendo o carro chefe para o crescimento da Banda Larga Móvel no Brasil. A migração para 3G dos aparelhos GSM ativos, que ainda representam mais de 70% dos acessos, deve se acelerar em 2013, mas os aparelhos 3G só devem superar os GSM em 2015.
  4. Melhoria da qualidade. A cobrança por uma melhoria na qualidade dos serviços por parte da Anatel, Procon e usuários de um modo geral deve continuar forte em 2013. Estar conectado (voz e internet) durante todo o tempo e em qualquer lugar está se tornando uma necessidade vital para a sociedade. Atender a esta demanda é um dos desafios do setor.
  5. Crescimento da Banda Larga Fixa e da TV por Assinatura.
    A banda larga fixa deve continuar crescendo a uma taxa anual de 20%. Já, a TV por assinatura que cresceu 27% em 2012, graças ao DTH, deve manter este ritmo de crescimento em 2013. TV a Cabo e de IPTV devem apresentar um crescimento maior, estimulados pelas novas autorizações de SeAC que passaram a ser outorgadas pela Anatel no final de 2012.
  6. Expansão das redes de Fibra Óptica.
    A implantação de redes de acesso banda larga de alta velocidade baseadas em fibra óptica (FTTH, FTTN, ....) deve acelerar nas principais operadoras em 2013. A demanda por altas velocidades cresce e a chegada da 4G é um fator a mais a pressionar a banda larga fixa a aumentar suas velocidades.
  7. Crescimento dos Smartphones.
    Apesar da queda na venda de telefones celulares no Brasil em 2012, a venda de Smartphones cresceu e esta tendência deve se manter em 2013. Os Smartphones já representam mais de 40% dos telefones celulares vendidos no mundo. A disputa entre os fornecedores deve continuar acirrada em 2013, com a Nokia e a RIM melhor preparadas para enfrentar a Samsung e a Apple.
  8. Pagamentos Móveis.
    Pagamentos móveis é o mais promissor entre os novos serviços que estão chegando ao mercado brasileiro, A solução está madura e deve começar a ganhar volume no mundo em 2013. Será preciso aguarda a aprovação da regulamentação preparada pelo Banco Central para o serviço deslanchar no Brasil.
  9. Agenda da Anatel.
    A regulamentação da faixa de 700 MHz para 4G e o uso de Femtocells são alguns dos tópicos quentes da agenda da Anatel, que terá ainda que se dedicar à implantação do PGMC e a apresentar de forma sistemática um acompanhamento dos indicadores de qualidade dos serviços.

 

O Brasil apresenta um quadro consolidado de players em Telecom com três grupos (Telefônica, América Móvil e Oi) respondendo por 70% da receita total do setor e n ão se espera grandes modificações no quadro competitivo em 2013. Os principais eventos a serem acompanhados são:

  • A venda da GVT pela Vivendi, que poderia afetar o cenário competitivo caso ela seja adquirida por algum dos grupos que atuam no mercado brasileiro. O mais provável, no entanto, é que seu controle passe para fundos de investimento.
  • A consolidação das empresas da América Móvil com a fusão da Claro e da Embratel.
  • Uma possível entrada em operação da Virgin Mobile agitando os candidatos a MVNO no Brasil e ajudando a tornar realidade a existência de operadoras móveis virtuais no mercado brasileiro.

Diante deste quadro pergunta-se:

  • Qual será o crescimento do celular em 2013? Quem irá liderar este crescimento?
  • Com quantos acessos 4G o Brasil terminará 2013?
  • Haverá um aumento na implantação das redes de Fibra Óptica, inclusive na oferta de FTTH?
  • O que muda no mercado com a entrada em operação da Nextel 3G?
  • A TV a Cabo irá crescer mais que o DTH em 2013?

 

 

Comente!

Para enviar sua opinião para publicação como comentário a esta matéria para nosso site, clique aqui!

 

Nota: As informações expressadas nos artigos publicados nesta seção são de responsabilidade exclusiva do autor.

 

 

 

 

Workshop

 

 

Loading
CONSULTORIA TELECO

Inteligência em Telecom

Estudos e Base de Dados

Relatórios

Celular Brasil 2016

Telecom e Capex

Venda de Planilhas

Dados históricos do Mercado Brasileiro

Workshops

Internet das Coisas
27 de Junho

Market Update

Regulamentação

Mais Produtos

 
 

EVENTOS

Painel Telebrasil 2017

19 e 20 de setembro

Organizador: Telebrasil

Mais Eventos




LIVROS

 

 

 


Siga o Teleco

linkedin

 

...