João Cox

 

 

João Cox é formado em Economia pela Universidade Federal da Bahia, com especialização em Economia pela Université du Quebec à Montreal, e CPS pela Oxford University. Desde agosto de 2006, Cox é presidente da Claro, braço brasileiro da América Móvil.  

 

Ele, dentre outros prêmios em 2007, ganhou o de “Empreendedor do Ano”, concedido pela revista Isto É Dinheiro; de “Um dos 100 Brasileiros mais influentes em 2008”, conferido pela Isto É; e Líder Empresarial do Setor de Telecomunicações, conferido pela Gazeta Mercantil. Antes de trabalhar para a Claro, comandou a Cox Advisory, empresa de investimentos com mandados para transações de fusão e aquisição, além de serviços financeiros e de consultoria. 

 

Na sua trajetória constam também passagens no Conselho de Administração de empresas no Brasil, na Argentina, na Holanda e em Israel. Anteriormente, participou do CRSFN (Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional). 

Atualmente, é membro do Fórum de Líderes Empresariais, do Conselho de Administração da Claro, da Stefanini e da Moura Dubeux.  

 

No campo da telefonia celular, entre abril de 1999 e agosto de 2004, foi vice-presidente de Finanças e diretor de Relações com Investidores da Telemig Celular Participações S/A e Tele Norte Celular Participações, posições que acumulou com a Presidência da Telemig Celular e da Amazônia Celular. Implantou um plano gerencial com o qual o EBITDA das empresas saltou de R$ 520 milhões para R$ 665 milhões, tornando a Telemig uma das empresas de telefonia móvel mais lucrativas do mundo, ao alcançar margens de EBITDA superiores a 50% em alguns trimestres.  

 

Na ocasião, equilibrou financeiramente a Amazônia Celular e aumentou a base de clientes de 2,6 milhões para 3,6 milhões, reduziu o churn apesar do aumento da concorrência, reposicionou a marca e implantou nova cultura e programas de relacionamento enquanto melhorava o modelo de segmentação.  

 

Foi diretor-financeiro da Odebrecht Serviços de Infra-estrutura S.A (OSI), do Grupo Odebrecht. Na mesma companhia, já ocupara cargos como os de diretor-financeiro da holding e da OPP Petroquímica S.A (atual Braskem). 

 

 

Em Debate Especial

 

O bom desafio