Atualizado em: 27/12/2009

Balanço (antecipado) de 2009: Um ano difícil para o setor

 

Fim do ano chegando, é hora de avaliações de resultados. Apresentamos a seguir uma análise antecipada de aspectos relevantes de 2009.

 

O ano de 2009 foi um ano difícil para o setor de telecomunicações no Brasil. Em enquete realizada pelo Teleco 50% consideraram 2009 um ano ótimo/bom, índice inferior a 73% em 2008 e a 69% em 2007, mas superior a 43% em 2006.

 

Entre os principais serviços apenas TV por Assinatura apresentou crescimento (adições líquidas) superior aos três anos anteriores.

Nota: Os dados de 2009 são projeções do Teleco

 

A crise financeira mundial afetou o crescimento das principais operadoras que adotaram estratégias mais conservadoras principalmente no 1º semestre de 2009.

 

No celular, as adições líquidas mensais em 2009 só superaram 2008 nos meses de maio e julho. Caso dezembro de 2009 supere em cerca de 1 milhão de celulares Dez/08, o ano encerrará com adições líquidas de 24 milhões de celulares, em linha com as projeções do Teleco.

 

A maturidade do mercado brasileiro de celular contribuiu também para este crescimento menor: o Brasil, que superou em março de 2009 a densidade de 80 cel/100 hab., deve terminar o ano com uma densidade superior a 90 cel/100 hab.

 

O crescimento foi mais forte na base pré-paga que deve terminar 2009 com 82,4% dos celulares, contra 81,5% em 2008. As promoções de minutos a preços reduzidos para chamadas entre celulares da mesma operadora têm estimulado a posse de mais de uma linha de celular (chip) por usuário. Pesquisa realizada pela Teleco nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre, mostrou que 16% dos usuários de celular possuem 2 ou mais chips.

 

Com a incorporação da Brasil Telecom pela Oi, a competição no celular no Brasil passou a ser entre quatro operadoras (Vivo, Claro, Tim e Oi) todas com cobertura nacional.

 

 

Operadora 2008 1T09 2T09
3T09
Nov/09
Vivo
29,84% 29,70% 29,33%
29,40%
29,57%
Claro 25,71% 25,76% 25,36%
25,45%
25,42%
TIM 24,17% 23,50% 23,71%
23,85%
23,75%
Oi 19,91% 20,67% 21,22%
20,93%
20,89%

 

Apesar deste cenário as operadoras mantiveram as suas margens EBITDA em patamares semelhantes aos apresentados em 2008.

 

Apesar do grande debate sobre a importância da banda larga para o país a banda larga fixa apresentou em 2009 um crescimento inferior ao dos anos anteriores. Ela teve o crescimento afetado pela paralisação das vendas do Speedy determinada pela Anatel em função das panes apresentadas pelo serviço. A Net continuou crescendo mais que as demais operadoras e superou a Telefonica no 3T09.

 

A banda larga móvel (3G) apresentou um crescimento mais forte e deve terminar 2009 com cerca de 8 milhões de acessos, contra 2,1 milhões de 2008. Vivo e Claro são as operadoras que mais estão se beneficiando do crescimento deste serviço.

 

Na telefonia fixa o indicador de " acessos fixos em serviço" apresentou crescimento positivo graças à ação das empresas autorizadas Embratel e GVT estimuladas pela portabilidade numérica que passou a estar disponível em todo o Brasil a partir de março de 2009.

 

O bom desempenho da TV por Assinatura deve ser creditado à Net com sua oferta "triple play" e também a Telefonica, Oi e Embratel que passaram a oferecer TV por Assinatura via satélite (DTH).

 

 

Destaques do ano

 

Os seguintes fatos merecem destaques no ano:

Se estes foram os destaques, existiram também segmentos que marcaram passo em 2009, como a TV Digital, o Wimax e as mudanças na TV por assinatura que deveriam ter sido regulamentadas pelo PL 29.

 

Diante deste quadro pergunta-se:

 

Comente!

Para enviar sua opinião para publicação como comentário a esta matéria para nosso site, clique aqui!

 

Nota: As informações expressadas nos artigos publicados nesta seção são de responsabilidade exclusiva do autor.

 

 

Workshop

 

 

EVENTOS

Mais Eventos